A Crediacisc está com um novo plano de ação para os investidores, traçado com base nas constantes reduções da Selic, taxa básica de juros, promovidas pelo Banco Central do Brasil (BC). O Comitê de Política Monetária (Copom) cortou mais 0,5 ponto percentual da taxa e a reduziu para 5,5% ao ano.

"Essa a menor taxa desde a criação da Selic", destaca o diretor presidente da Crediacisc, Hercílio Antonio de Carvalho. "O cenário para investimentos se alterou e os pequenos investidores precisam de um apoio maior", destaca.

Para o presidente da Crediacisc, juros mais baixos requerem mais tempo de estudo para escolher as aplicações mais adequadas para cada perfil de investidor. "Além disso, o mercado financeiro está sensível ao contexto político, por isso é preciso ter estratégia e objetivos bem claros nas aplicações", ressalta.

De acordo com o Banco Central, que reduziu a Selic em decisão unânime entre os membros do Copom, há "retomada do processo de recuperação da economia brasileira" de forma gradual, e os indicadores de inflação estão "em níveis confortáveis". Em outubro de 2016, quando o BC iniciou a sequência de cortes da Selic, a taxa dera de 14,25%.

A Selic serve de referência para outras taxas de juros e para remunerar investimentos, além de ser utilizada pelo governo central para regular a inflação. "Não é porque a Selic está baixa que os juros cobrados aos consumidores estão baixos", lembra Carvalho. Os últimos dados do BC apontam a média da taxa de juros do cheque especial em 318,7% ao ano e o juro do rotativo do cartão de crédito em 300,3%/ano.

Orientação – Crediacisc está com orientações atualizadas para os cooperados. "Temos informações importantes para transmitir", frisa o presidente da cooperativa. Os cooperados devem agendar horário com seus gerentes para este atendimento.




Acompanhe também a Crediacisc: /crediacisc | @crediacisc