Há exatos 16 anos – no dia 11 de abril de 2005 – 30 empresários ligados à Associação Comercial (Acisc) assinaram a ata de criação da primeira cooperativa de crédito genuinamente são-carlense e enviaram a documentação ao Banco Central. Em 28 de novembro daquele ano, a Crediacisc entrou em funcionamento com sua primeira unidade.

Filiada ao maior Sistema de Cooperativa de Crédito do Brasil (Sicoob) e 2 mil cooperados, 21 funcionários e três unidades de atendimento em São Carlos, a Crediacisc ampliou seu público-alvo. Agora, qualquer pessoa pode se associar, não apenas micro e pequenos empresários.

“Naquela época os grandes bancos não estavam interessados em pequenos comerciantes e prestadores de serviço”, lembra Lídia Maria Mendes Lima, cooperada que preside o Conselho de Administração. Aquela dificuldade inicial, segundo Lídia, possibilitou a união de um pequeno número de empresários. “Foi uma motivação a criação da Crediacisc”, destaca. “Hoje é um orgulho termos uma cooperativa forte e viável para a economia são-carlense”, destaca.

A Crediacisc é a única cooperativa de crédito nascida em São Carlos e com uma diretoria formada exclusivamente por empresários da cidade. Colaborar com a economia local por meio dos pequenos negócios – pipoqueiro, cabeleireiro, açougue, lanchonete, oficina mecânica, transportadora, industriais e diversos outros setores – e a oferecer os serviços de um banco tradicional com taxas menores é a principal missão da Crediacisc.

“O que também nos diferencia é o atendimento mais humano e próximo dos cooperados. Somos todos donos de um negócio”, explica Lídia.

Livre admissão – Desde de janeiro deste ano, a Crediacisc foi autorizada pelo Banco Central a se tornar uma cooperativa de livre admissão, isto é, qualquer pessoa que preencha os pré-requisitos e que concorde com o estatuto poderá se associar.

“Cooperar-se é diferente de abrir conta num banco, como todos são donos do negócio, todos têm obrigações”, detalha a presidente do Conselho. “E como não visamos lucro, as taxas e juros são menores dos praticados no mercado”, completa.

Os interessados em fazer parte devem integralizar 50 quotas-partes no valor de R$ 1,00 cada e outras 120 quotas-partes/ano em 6 parcelas. “São R$ 20,00 por mês como integralização, não é taxa. Esse dinheiro pode ser resgatado se o cooperado deixar a cooperativa”, diz Lídia.

A Crediacisc oferece todos os serviços que um banco tradicional oferece, mas por não visar lucro consegue melhores taxas e condições. Conheça uma das unidades da cooperativa – av. São Carlos, 2126, av. Sallum, 523 e rua General Osório, 412

Acompanhe também a Crediacisc: @sicoobcrediacisc_oficial | @crediacisc | @crediacisc