As cooperativas de crédito ganham cada vez mais espaço e credibilidade junto ao mercado financeiro e à sociedade em geral. No entanto, alguns mitos, como a falta de fiscalização, segurança e controle ainda insistem em aparecer quando o assunto é cooperativismo.

Uma cooperativa de crédito é uma instituição financeira que presta serviços exclusivos para os próprios associados. O controle e a fiscalização são rigorosos por parte do Conselho Fiscal, da Central Cecresp, a qual a Sicoob Crediacisc é filiada, e pelo Banco Central do Brasil, que mantém em sua página vídeo sobre este tema, http://bit.ly/2UNIeR1, e por auditorias independentes.

Para garantir total transparência aos seus atos, a Sicoob Crediacisc, assim como todas as cooperativas semelhantes, é submetida a um rígido controle interno. “O agente de controle interno é supervisionado pela Central, que faz permanentes auditorias internas, mensais e trimestrais”, explica Marcos Tadeu Jorge Vasques, gerente administrativo da Sicoob Crediacisc.

No dia a dia da cooperativa estão o Conselho de Administração, responsável pelas decisões estratégicas, e a Diretoria Executiva, a quem cabe a gestão dos negócios. No final do exercício, os balanços contábeis são montados e auditados por auditores externos da Confederação Nacional de Auditoria Cooperativa (CNAC).

“Os mecanismos de controle interno, além de permitirem aos cooperados assegurar a execução dos objetivos da cooperativa, garantem transparência também junto à sociedade”, salienta Marcos Tadeu. Segundo ele, dirigentes e funcionários passam por formação e atualização constantes. Em outubro de 2018 foi implantada pela Sicoob Confederação melhorias nas metodologias internas de avaliação de risco de crédito. “A classificação é igual para todo o mercado financeiro, os clientes são classificados de acordo com uma pontuação padrão”, explica.

Para o presidente da Sicoob Crediacisc, Hercílio Antônio de Carvalho, esse controle rígido garante o bom funcionamento das cooperativas, mas, por outro lado, exige participação mais efetiva dos cooperados. “Além de participar com capital é preciso se inteirar e aprender para acompanhar melhor o desempenho”, salienta.

Para Carvalho, apesar de todo esse controle e complexidade e do contexto de crise pelo qual passa o Brasil, especialmente para micro e pequenos empresários, os resultados da Crediacisc são animadores. “Crescemos em quantidade de cooperados, hoje somos 1,7 mil, e em qualidade, nossos cooperados passam por consultorias e capacitações que organizamos”, lembra. Em 2018, entre 10 quesitos no Ranking da Cecresp, a Crediacisc recebeu destaque em cinco - Cobrança, Poupança, Consignado, Seguros Gerais e Sipag.

Na assembleia geral da Crediacisc, ocorrida em 31/03, os cooperados aprovaram as contas de 2018 e definiram novas metas até 2020, quando a cooperativa espera chegar a 3 mil associados e dobrar seu patrimônio financeiro. Os documentos podem ser acessados no site da cooperativa (www.crediacisc.com.br) ou diretamente no link http://bit.ly/2ULT3YR.

A Crediacisc é a única cooperativa de São Carlos que nasceu a partir da união de empresários locais e que mantém seu o capital movimentado exclusivamente na cidade. “Esse é um dos princípios do cooperativismo, fomentar a economia local”, observa Carvalho.

Acompanhe também a Crediacisc: /crediacisc | @crediacisc