A Crediacisc nasceu há quinze anos a partir da iniciativa de um grupo de 30 empresários ligados à Associação Comercial e Industrial de São Carlos (Acisc). Hoje, a cooperativa de crédito é uma instituição independente, formada por pelo menos dois mil empresários locais e filiada ao maior sistema de cooperativas de crédito do Brasil (Sicoob).

Para celebrar essa relação, Crediacisc e Acisc estreitaram ainda mais a parceria para auxiliar os empresários são-carlenses, especialmente durante a pandemia do coronavírus e graves  consequências que o comércio local vem sofrendo.

“Estamos vivendo uma fase delicada, sobretudo para os pequenos negócios”, analisa a presidente eleita do Conselho de Administração da cooperativa, empresária Lídia Maria Mendes Lima. “É preciso fazer todo o esforço para minimizar prejuízos e oferecer algum apoio”, frisa.

As equipes da Acisc foram capacitadas para oferecer os produtos da Crediacisc aos associados com as vantagens que a parceria permite. “A Crediacicisc é uma cooperativa de crédito que tem todos os serviços de um banco, só que com taxas e condições melhores porque não visa lucro”, explica a nova gerente da unidade da rua General Osório, Mariana Silva.

Existem diversos produtos que beneficiam diretamente os comerciantes locais, como consórcios, financiamentos, seguros, cartão de crédito, cheque especial, cartão alimentação. Até setembro, uma das principais atrações é a campanha de incentivo às vendas pela máquina da Sipag, a máquina das cooperativas de crédito.

A adesão à Sipag ou a compra da Sipaguinha pela parceria da Acisc traz uma série de vantagens aos pequenos e micro empresários. A existência de uma “guerra das maquininhas” não é novidade para os comerciantes. Propagandas com atores famosos e informações não tão claras para atrair a atenção tentam diariamente convencer o adquirente.

Ter uma máquina que captura vendas nos cartões de débito ou crédito é ter o controle do fluxo de caixa do empresário, que cedo ou tarde acabará preso às condições e exigências dos grandes bancos, os quais estão por trás da maioria das máquinas tradicionais.

A maquinha das cooperativas de crédito é uma opção confiável. “Primeiro porque não visamos lucros, e porque qualquer pagamento de taxa ou aluguel é revertido para a cooperativa e, portanto, para a economia local”, explica Mariana.

Além disso, de acordo com a gerente da Crediacisc, as condições para aderir à máquina da Sipag são as melhores do mercado. “Cobrimos qualquer oferta, mas também estamos capacitados para demonstrar que nem tudo é como aparece nas propagandas”, finaliza.


Acompanhe também a Crediacisc: /crediacisc | @crediacisc