Projeções dos economistas do Banco Central do Brasil (BC) apontam para um crescimento de 1,8% a 5,7%, em termos reais, do estoque de empréstimos e financiamentos a pessoas físicas e jurídicas nos próximos 12 meses. Segundo essas projeções, em 2019 o setor terá o melhor desempenho em cinco anos.

Na avaliação dos especialistas, o cenário político e econômico mais claro permitiu que as companhias acelerassem a produção e começassem a desengavetar planos de investimentos. A recuperação das linhas para as famílias é outro fator positivo para este ano.

Por outro lado, os bancos enfrentam um ambiente mais favorável para empréstimos e estão mais dispostos a tomar risco na medida em que os indicadores de inadimplência retornam à normalidade.

Segundo os indicadores do setor, a participação do crédito no Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 54% em 2015 para 46% atualmente. Hoje também registra-se um peso menor do serviço da dívida (juro mais principal) para o orçamento familiar, principalmente no financiamento imobiliário, que alcançou 21,4% em 2011 e agora está em 17,5%.

Fonte: Valor Econômico e CECRESP - Asmac - Marketing 

Acompanhe também a Crediacisc: /crediacisc | @crediacisc